Hérnia de hiato: como ela é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?

 

Hérnia de hiato: como ela é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?

O que é hérnia1 de hiato?

O músculo diafragma2, localizado na transição entre o tórax3 e o abdome4, separa as duas cavidades corporais. Neste músculo existe um orifício, conhecido por hiato esofágico, por onde o esôfago5 penetra na cavidade abdominal6 e se liga ao estômago7. A hérnia1 de hiato caracteriza-se por um enfraquecimento do diafragma2 e alargamento do orifício nele contido, pelo qual uma parte do estômago7 desliza em direção ao esôfago5.

Quais são as causas da hérnia1 de hiato?

Não é fácil determinar-se a causa específica da hérnia1 de hiato, mas sabe-se que além dos problemas genéticos alguns outros fatores facilitam as hérnias8 em geral: idade avançada; excesso de peso; ingerir grandes quantidades de alimentos antes de se deitar; ingerir líquidos em excesso durante as refeições (principalmente gasosos); traumas abdominais e a prática de esportes que forcem a musculatura abdominal, como musculação e halterofilismo (levantamento de pesos).

Hérnia de hiato

Quais são os sinais9 e sintomas10 da hérnia1 de hiato?

Na ligação do esôfago5 com o estômago7 existe um músculo (músculo do esfíncter esofágico inferior11) que se abre para permitir a passagem dos alimentos para o estômago7 e se fecha para impedir que os ácidos estomacais subam para o esôfago5. Qualquer alteração nesse mecanismo pode provocar refluxo esofágico (retorno do conteúdo do estômago7 para o esôfago5) e a maior parte dos sintomas10 das hérnias8 de hiato decorre desse defeito, uma vez que, como a mucosa12 do esôfago5 não está preparada para receber o conteúdo ácido do estômago7, ocorre uma inflamação13 do esôfago5 (esofagite14).

Os principais sintomas10 da hérnia1 de hiato são: azia15, eructações (arrotos) e refluxo dos ácidos estomacais que podem alcançar a garganta16 e provocar tosse ou sensação de vômito17. A azia15 crônica pode causar úlceras18 e esofagite14.

Como o médico diagnostica a hérnia1 de hiato?

O diagnóstico19 de suspeita da hérnia1 de hiato é feito pela história clínica. O diagnóstico19 de certeza é feito de forma segura pela endoscopia20 digestiva alta. A endoscopia20 é um exame rápido, cômodo e pode ser feito com o paciente dormindo, com o uso das medicações modernas.

Como se trata a hérnia1 de hiato?

O tratamento da hérnia1 de hiato pode ser clínico ou cirúrgico, na dependência do tamanho da hérnia1 e da intensidade do refluxo esofágico. A hérnia1 de hiato costuma responder bem ao tratamento clínico. Alguns casos necessitam de tratamento cirúrgico, o qual pode ser feito por laparoscopia21.

Para aliviar a azia15 o médico pode prescrever antiácidos22.

Como evoluem as hérnias8 de hiato?

Normalmente as hérnias8 de hiato são facilmente tratáveis. A principal complicação que pode advir do refluxo esofágico é o esôfago5 de Barrett, uma doença na qual há uma metaplasia das células23 (alteração benigna) da parte inferior do esôfago5, causada por uma exposição prolongada ao conteúdo ácido do estômago7. Essa lesão24 metaplásica pode evoluir para displasia25 celular (lesão24 pré-maligna).

 
ABCMED, 2012. Hérnia de hiato: como ela é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?. Disponível em: <http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/306435/hernia-de-hiato-como-ela-e-quais-as-causas-e-os-sintomas-como-e-o-tratamento.htm>. Acesso em: 17 jan. 2017.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
 

2 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
 

3 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
 

4 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
 

5 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
 

6 Cavidade Abdominal: Região do abdome que se estende do DIAFRAGMA torácico até o plano da abertura superior da pelve (passagem pélvica). A cavidade abdominal contém o PERiTÔNIO e as VÍSCERAS abdominais, assim como, o espaço extraperitoneal que inclui o ESPAÇO RETROPERITONEAL.
 

7 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
 

8 Hérnias: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
 

9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
 

10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
 

11 Esfíncter Esofágico Inferior: Barreira fisiológica ou funcional contra o REFLUXO GASTROESOFÁGICO, na junção esofagogástrica. Os músculos esfincterianos permanecem tonicamente contraídos durante o repouso e formam a zona de alta pressão, que separa os lumens do ESÔFAGO e do ESTÔMAGO.
 

12 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
 

13 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
 

14 Esofagite: Inflamação da mucosa esofágica. Pode ser produzida pelo refluxo do conteúdo ácido estomacal (esofagite de refluxo), por ingestão acidental ou intencional de uma substância tóxica (esofagite cáustica), etc.
 

15 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
 

16 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
 

17 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
 

18 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
 

19 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
 

20 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
 

21 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
 

22 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
 

23 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
 

24 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
 

25 Displasia: Desenvolvimento ou crescimento anormal de um tecido ou órgão.
 
 
 FONTE:  Abc-Med